Cada vez mais a aromaterapia contra a depressão vem sendo estudada e comprova a sua eficácia. É claro que o seu uso não dispensa os tratamentos médicos tradicionais, mas os óleos com certeza potencializam resultados e podem ajudar a salvar vidas.

Para começar é importante saber quais são os óleos essenciais que realmente trazem bons efeitos nesse sentido. Separamos uma lista com as melhores dicas e sugestões de uso para quem quer aproveitar a aromaterapia para a saúde mental.

Como funciona a Aromaterapia Contra A Depressão?

A depressão é um quadro de cunho psicológico que pode se agravar e levar o paciente a morte. Infelizmente, ainda é também um assunto considerado um grande tabu para muitas pessoas, enquanto outras sequer acreditam que a doença existe.

Mas sim, depressão existe e precisa de atenção. Por isso, aos primeiros e persistentes sintomas, é muito importante procurar ajuda psiquiátrica e iniciar um acompanhamento profissional.

Somado a isso, é possível usar a aromaterapia contra a depressão. Os óleos essenciais podem ser usados para combater alguns dos principais sintomas, como desânimo, cansaço e alterações de humor. Com isso, o paciente ganha mais qualidade de vida e consegue melhores resultados em seus tratamentos.

Os óleos essenciais possuem aromas curativos e são elementos naturais. Extraídos de plantas, flores e raízes, os óleos podem promover bem-estar através do odor, inalação, banhos, massagens e outros muitos tipos de uso.

Óleos Mais Indicados

Se você pretende utilizar os óleos essenciais para tratar a depressão, então deve começar estudando um pouco a respeito de suas propriedades. Existem muitas opções no mercado, e é importante escolher corretamente para desfrutar de bons resultados.

Óleo essencial de lavanda:

Também conhecida como Alfazema, a lavanda é um óleo muito apreciado por ter um cheiro agradável e promover a sensação de calmaria e bem-estar. É justamente por isso que é um dos óleos essenciais usados contra a depressão.

O uso desse ingrediente pode não somente ajudar a melhorar o humor e promover estado de relaxamento como também combate dores musculares que podem ser decorrentes do estresse da depressão.

Você pode usar 1 colher das de sopa de óleo essencial de lavanda misturado em 10 ml de sabonete líquido neutro. Tome banho com essa mistura e já se sentirá mais relaxado ao final.

Óleo essencial de bergamota:

A bergamota muda de nome conforme a região do país, podendo ser chamada de tangerina ou mexerica. Esse é um óleo essencial que ajuda a tratar a ansiedade e aumenta a autoconfiança. Com isso, também funciona muito bem para tratar a depressão.

A dica é aplicar as gotas desse óleo essencial no travesseiro ou usar para aromatizar o ambiente. Não indicamos o uso tópico pois, por se tratar de uma fruta cítrica, a bergamota pode causar manchas e queimaduras quando em contato com o sol.

Óleo essencial de gerânio:

Quando falamos em aromaterapia contra a depressão não podemos deixar de citar a flor de gerânio como um ingrediente muito potente. Esse óleo possui função antidepressiva ao mesmo tempo em que diminui dores e promove a cicatrização da pele.

Uma dica de uso é misturar 10 gotas de óleo essencial de gerânio misture 10na água morna de uma banheira. Entre na banheira e permaneça na água por 20 minutos. A inalação do perfume de gerânio somada ao contato da água com a pele trará uma sensação de bem-estar e relaxamento.

Óleo essencial de Rosa:

O principal efeito da rosa no organismo é diminuir o estresse, o que é muito importante no combate da ansiedade e da depressão. Estudos apontam que a redução de epinefrina, um hormônio liberado em situação de estresse, pode chegar a 30% com o uso desse óleo.

Mas, o mais importante é que essa ação ocorre sem causar apatia. Geralmente, pessoas que fazem uso de medicação antidepressiva podem passar por momentos de letargia, e o óleo essencial não agrava isso.

Óleo essencial de Sândalo:

Já o sândalo é especialmente indicado para tratar a ansiedade, um quadro que geralmente desencadeia ou é desencadeado pela depressão. O sândalo é muito utilizado por monges quando desejam entrar em estado de relaxamento. Quando inalado, ele também age como calmante, melhora o humor e aumenta a atenção.

Principais dicas de uso dos óleos essenciais

Os óleos essenciais podem ser utilizados de diferentes maneiras. Mas é muito importante estudar um pouco cada ingrediente antes de fazer uso, pois pode haver restrições.

Por exemplo, existem aqueles que não são indicados para contato com a pele ou aqueles que não podem se misturar entre si. Ter atenção com isso ajuda você a usar os óleos corretamente e principalmente a desfrutar ao máximo de suas propriedades. Algumas sugestões de uso são:

Uso tópico:

A aplicação sobre a pele deve ser feita somente mediante um teste prévio para identificar qualquer alergia. Para isso, pingue uma gota do óleo escolhido sobre a sua pele e aguarde até 24 horas para ver se teve alguma alteração.

Só podem ser aplicados na pele óleos 100% puros. Algumas sugestões são: Melaleuca, Lavanda, Hortelã-Pimenta. Recomendamos o uso de 1 a 5 gotas, no máximo. Você pode saber mais orbe os óleos essenciais e aromaterapia contra a depressão baixando o e-book “Guia Introdutório Sobre Óleos Essenciais” gratuitamente clicando aqui.

Imersão:

Também é possível fazer banho de imersão. Para isso o óleo de sua escolha deve ser diluído na água morna em que você vai se banhar.

Aplique 3 gotas do óleo na água morna enquanto a banheira é enchida. permaneça na água por cerca de 20 minutos. Além da inalação, o efeito também acontece através do contato do óleo com a pele.

Para banho também pode diluir no sabonete líquido ou em sais de banhos. Assim o efeito será o mesmo, de entrar em contato com a pele após a mistura e ser inalado no contato com a água morna.

Massagem:

As massagens podem ajudar muito pessoas com depressão. Isso porque, ainda que seja de cunho psiquiátrico, a depressão causa efeitos físicos, como cansaço e dores.

O uso nesse caso é feito através da mistura dos óleos essenciais em um óleo vegetal para massagem. O uso é de 1 gota para cada 10 ml de óleo vegetal.

Difusor:

Os difusores liberam o aroma do óleo de tempos em tempos no ar. O ideal é usar 7 gotas para 500 ml de água. É ótimo para aromatizar ambientes ao mesmo tempo em que promove o bem-estar proposto pelos óleos de acordo com cada uma das propriedades.

Se você tem dúvidas sobre a melhor forma de usar a aromaterapia contra depressão ou para qualquer outra finalidade o curso da Fabi Correa é ideal para quem quer aprender mais e aproveitar ao máximo os benefícios dos óleos.

Sintomas de depressão que podem ser tratados com aromaterapia

Os efeitos da aromaterapia são diversos. Para quem sofre com depressão, os óleos essenciais ajudam a tratar algumas das reações mais incômodas e preocupantes da doença, tais como:

  • Diminui ansiedade;
  • Combate a insônia;
  • Aumenta o ânimo e disposição;
  • Diminui o cansaço;
  • Melhora o humor;
  • Melhora a concentração.

O importante é usar corretamente o óleo e fazer a escolha adequada para cada caso. Ainda assim, lembre-se que a aromaterapia contra a depressão deve ser aplicada em paralelo aos tratamentos tradicionais contra a doença.